Aplicação do crédito rural chega a R$ 217 bilhões em cinco meses do atual Plano Safra

0
248

O desembolso do crédito rural da agricultura familiar e da empresarial nos cinco primeiros meses do Plano Safra 2023/2024 chegou a R$ 217 bilhões, indicando aumento de 15% em relação a igual período da safra passada. Os financiamentos de custeio tiveram aplicação de R$ 126 bilhões. Já as concessões das linhas de investimentos totalizaram R$ 44 bilhões. As operações de comercialização atingiram R$ 26 bilhões e as de industrialização, R$ 20 bilhões.   

Os valores apresentados são provisórios e foram extraídos em 5 de dezembro de 2023, do Sistema de Operações do Crédito Rural e do Proagro (Sicor/BCB), que registra as operações de crédito informadas pelas instituições financeiras autorizadas a operar em crédito rural. Dependendo da data de consulta no Sicor ou no Painel Temático de Crédito Rural do Observatório da Agropecuária Brasileira, podem ser observadas variações dos dados disponibilizados ao longo dos trinta dias seguintes ao último mês do período considerado.

De acordo com a análise da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), foram realizados 1.011.242 contratos no período de cinco meses do ano agrícola, sendo 737.543 no Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) e 115.267 no Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural). Os demais produtores formalizaram 158.432 contratos, correspondendo a R$ 154,4 bilhões de financiamentos liberados pelas instituições financeiras. O total de R$ 217 bilhões corresponde a 50% do montante que foi programado para a atual safra para todos os produtores (pequenos, médios e grandes), que é de R$ 435,8 bilhões.    

Na agricultura empresarial (médios e grandes agricultores), a aplicação do crédito rural atingiu R$ 186,5 bilhões de julho a novembro, correspondendo a uma alta de 19% em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse valor significa 51% do total programado pelo governo, de R$ 364,2 bilhões.    Os valores concedidos aos pequenos e médios produtores em todas as finalidades (custeio, investimento, comercialização e industrialização) foram, respectivamente, de quase R$ 31 bilhões no Pronaf e de R$ 32,1 bilhões no Pronamp.   

Nos financiamentos agropecuários para investimento, o Programa de Modernização da Agricultura e Conservação dos Recursos Naturais (ModerAgro) teve contratações da ordem de R$ 1,3 bilhão, significando um aumento de 25% em relação a igual período na safra anterior. E os financiamentos para o programa Pronamp alcançaram R$ 3 bilhões, alta de 70%.   

Em relação às fontes de recursos do crédito rural, a participação dos recursos livres equalizáveis atingiu R$ 11 bilhões, significando um aumento de 450% em relação a igual período da safra anterior, sinalizando uma maior utilização dessa fonte, colocados à disposição para equalização dentro do Plano Safra.   

Cabe destacar, ainda, a contribuição da fonte não controlada da Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) para o funding do crédito rural, que respondeu por 46% do total das aplicações da agricultura empresarial nos primeiros cinco meses da safra atual, se situando em R$ 85,5 bilhões, com aumento de 98% em relação a igual período da safra passada, quando essa fonte representou 27% (R$ 43,1 bilhões).   

Foto: Mapa