ESPECIAL: YAMI – Evento é aprovado por lideranças do setor

Com temas voltados para modernização do campo, liderança e sucessão, as novas mentes do agronegócio debateram o futuro em um evento disruptivo, a primeira edição do YAMI – Youth Agribusiness Movement International superou as expectativas da organização e recebeu aprovação por parte de lideranças do agronegócio. 

Durante os dias 8 e 9 de outubro, o Transamerica Expo Center em São Paulo recebeu 300 congressistas com idades entre 18 e 30 anos que debateram o papel e a missão da nova geração no setor. O evento ocorreu de forma simultânea ao 4º CNMA – Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio.

“Não tenho a menor dúvida de que nesses últimos 30 ou 40 anos, o Brasil fez um trabalho excepcional com o agro, com sustentabilidade, inovação, gestão, mas quem vai conduzir o agro é a nova geração, que dará o impulso para o futuro”, afirmou Luiz Cornacchioni – diretor Executivo da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) – na abertura do YAMI. Para ele, “essa geração vem com mind set diferente e proporcionará um novo salto. Por isso, é preciso abrir espaço para os jovens”.

Jorge Espanha, presidente da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), participou da mesa-redonda WHY AM I? O papel e a missão desse jovem,  respondeu pela abertura do painel e abordou o papel do marketing no agro, colocando o tema como um dos principais pontos da comunicação do agro brasileiro com a sociedade urbana. “A agronegócio é a base da economia brasileira. Para manter o ritmo de crescimento e inovação, precisa dar espaço para o jovem e, consequentemente, para a inclusão de novas tecnologias, que permitirão ao país manter-se competitivo na produção de alimentos, fibras e energia, além da sustentabilidade. Somos o quarto maior produtor do mundo e podemos ir além, contribuindo para atender à demanda da crescente população mundial”, destaca o presidente da ABMRA.

Na ocasião, Espanha apresentou uma estratificação da 7ª edição da Pesquisa ABMRA – Hábitos do Produtor Rural, iniciativa da entidade, mostrando que 21% dos produtores rurais têm entre 26 e 35 anos, frente a 15% na mesma faixa etária no estudo realizado em 2013. Outra informação destacada pelo presidente da entidade diz respeito à formação profissional: 22% dos entrevistados até 40 anos tem o grau superior, percentual que, quando comparados aos entrevistados com mais de 40 anos, mostra que 36% têm o segundo grau completo. 

“É o agronegócio gerando e ampliando as oportunidades de realização profissional dos jovens seja como produtores rurais, seja nas indústrias ou como empreendedores. A nova geração do campo indica a renovação e a oxigenação do negócio rural no país”, afirma Espanha, ressaltando o papel desse tipo de evento  na alavancagem do processo de sucessão, pois é “oportunidade de expandir o networking e o conhecimento”.

Destacando o agro como mola propulsora cada vez mais presente e mais forte no cenário nacional, Luiz Nery Ribas – membro do  Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb) – cita a tecnologia como instrumento de agregação de valor, performance e competitividade, além de ser o caminho para resultados mais e mais expressivos. “Além da questão de capacitação, é importante inserir o jovem no processo produtivo. Esse é o caminho, e o Cesb, em seus eventos, vem  recebendo as segundas e terceiras gerações de produtores, ávidos por tecnologia e conhecimento”, comemora Ribas.

Luciana Martins, diretora da consultoria MPrado, também destaca a importância desses encontros para fortalecer o processo e a preparação dos jovens para o processo de sucessão. “É importante o engajamento de jovens nesses eventos  que se tornam referência no agronegócio para buscar processo de governança sustentável, pois, ao retornar ao campo, esse jovem mostra a força do agro. Além disso, eventos de gestão como esse trazem ao público novas perspectivas dentro da cadeia produtiva”, comenta.

O congresso – Apresentações de acadêmicos, empresários e profissionais levaram mais de 17 horas de conteúdo aos participantes, com orientações acerca dos desafios e transformações do agronegócio nos próximos anos, abordando temas como sustentabilidade, tecnologia, novas práticas do agronegócio, sucessão, agricultura urbana, tendências e oportunidades. O evento contou ainda com uma área de exposição de empresas de referência e startups.

“Muitos dos jovens presentes no YAMI têm a missão de continuar o legado de suas famílias. Outros estão entrando agora no setor, mas todos com uma visão atual, trazendo novas ideias e formas de trabalhar. Foi uma verdadeira injeção de ânimo nesse pujante setor. É disso que o agro precisa para continuar se destacando no Brasil e no mundo”, ressalta Renata Camargo, show manager do evento.

A condução do evento ficou por conta de Guto Quirós, cofundador da Quirós Gourmet, que iniciou as plenárias destacando a participação do jovem e a importância do intercâmbio profissional e de conhecimentos do YAMI. “O congresso dá ao jovem o contato com temas de grande relevância para a formação de uma carreia sólida dentro do agronegócio”, afirma.

O diretor do Transamerica Expo Center, Alexandre Marcilio, acredita que o crescimento e a valorização da nova geração têm muito a acrescentar para o desenvolvimento do setor. “Os jovens devem se tornar cada vez mais os grandes protagonistas dos negócios do campo, pois chegam com as energias renovadas, ótimas ideias e abertos para aprender e crescer profissionalmente. Nestes dois dias promovemos neste espaço debates focados em auxiliar os jovens nesta caminhada de desafios que é a vida profissional”, enfatiza.

Transformação tecnológica e startups – Tema recorrente do YAMI, a transformação tecnológica já é realidade no agronegócio brasileiro. Atualmente, estima-se que o Brasil possui mais de 800 pequenas empresas dedicadas a oferecer soluções em tecnologia e financeiras ao agro. De acordo com dados de universidades, centros de pesquisa e do Ministério da Agricultura, cerca de 70% delas estão no Sudeste do país. A maioria se dedica à tecnologia da informação, sistemas de gestão de fazendas, plataformas de marketplace e vendas, biotecnologia, alimentos e fertilizantes, focando em levar ao campo ferramentas que auxiliem na resolução dos gargalos do setor.

“Esse movimento também atrai para o setor novos profissionais, como os jovens, que visualizam nas startups uma oportunidade de aplicar no campo as tecnologias desenvolvidas nas universidades”, complementou Renata Camargo.

A temática também foi debatida na mesa redonda “De Startups a Starwinners”. “O agronegócio, por si só, é uma atividade que se baseia em intuição e experiência, dois fatores que normalmente estão muito ligados à idade e é uma questão que, muitas vezes, barra a entrada de jovens ao negócio”, destacou o CEO da Aegro, Pedro Dusso, e frisou: “O YAMI deu oportunidade para os jovens interagirem com a tecnologia e sua aplicação no campo. Foi possível oferecer a essa nova geração argumentos para ingressarem no setor e também para a aplicação dessas inovações nas fazendas, com exemplos reais e de sucesso”.

Compromisso com o setor – Instigando a reflexão sobre a importância do jovem no agronegócio, o YAMI também englobou temas como sustentabilidade. A presença de Mariana Calêncio, embaixadora brasileira do programa Thought For Food (TFF) para São Paulo, levou aos congressistas um debate sobre o papel do jovem no desenvolvimento de um agro mundial mais consciente, sustentável e responsável. “Estamos exatamente no momento de empoderar cada vez mais os jovens. O Congresso vem para dar mais força à revolução que temos de fazer no Brasil e no mundo”, explicou a embaixadora.

O YAMI – A primeira edição do YAMI – Youth Agribusiness Movement International – realizado em paralelo ao 4° Congresso das Mulheres do Agronegócio (CNMA) – foi promovida, organizada e realizada pelo Transamerica Expo Center, com apoio institucional da ABAG – Associação Brasileira do Agronegócio e coordenação de conteúdo da Biomarketing, do Prof. José Luiz Tejon Megido.

O movimento contou com patrocínio da Corteva, John Deere, CNA Senar Instituto, Massey Ferguson, Nestlé, Valtra, Bradesco, Cargill, Jacto e New Holland; apoio da 3Corações, Belgo, Banco Alfa, Banco do Brasil, Camila Klein, Caterpillar, CPEC – Centro de Psicologia Empresarial e Clínico, Coalizão Brasil, FLC Serviços, FMC, Huck Otranto Camargo, Malai Manso Resort, Mosaic Fertilizantes, Rabobank, RCA, Romancini, Safras & Cifras, Santander, Seedz, Senior, Stara, Tortuga, Trow Nutritio, UPL e Yara; e startups Acerto Fácil, Aegro, AgriConnected, Agripad, Agro Carreira, Agrosmart, @Tech, Cropman, Culte, e-barn, iRancho, Labhoro, Liberali, Mulheres do Agronegócio Brasil, MyFarm, Nagro, Pangea Parts, Perfarm, Plantae e TBDC Agro Softwares.

O GestAgro 360° foi parceiro de mídia do evento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here