Conectividade no campo une Mapa e MCTIC

Tendo a finalidade de levar mais conectividade ao campo e estimular a internet das coisas e a produção com sustentabilidade, sem precisar ampliar a área plantada, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) lançaram, em 15 de agosto, a Câmara do Agro 4.0.

Durante a assinatura da parceria, a ministra Tereza Cristina disse que ela é importante para que o Brasil possa produzir mais com sustentabilidade, sem precisar ampliar a área plantada. Ela também destacou que uma os pequenos produtores estão entre as prioridades. “Eles precisam de muito apoio na inovação, na ciência e na tecnologia. Queremos levar tecnologia e colocá-los na roda produtiva”.

A Câmara vai trabalhar para levar conectividade às propriedades rurais de todo país, com atenção especial para as das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. No Nordeste, por exemplo, o governo pretende investir cerca de R$ 83 milhões para levar conectividade ao ambiente rural. Já no Norte, o valor chega a R$ 35 milhões, segundo o MCTIC. 

“Além disso, vamos estimular a Internet das Coisas, para ser aplicada dentro das propriedades em diversas modalidades, desde coletando dados para a melhoria do solo até à aplicação de defensivos de uma forma muito precisa”, garantiu o ministro do MCTIC, Marcos Pontes.

A ministra ainda lembrou que essa iniciativa estará em sintonia com o projeto que o Mapa prepara para o Nordeste. “Nós já mapeamos 11 regiões do Nordeste, onde nós, em breve, vamos lançar um programa voltado para a pequena agricultura.”
“A conectividade no campo é essencial, principalmente quando a gente começa a capacitar o trabalhador rural para utilizar essa modernidade e aumentar a sua produtividade. O agro também merece estar conectado porque isso vai gerar emprego e renda para o trabalhador do nosso setor agrícola,” destacou o deputado Vinícius Poit (Novo-SP), membro da Frente Parlamentar da Agricultura, ressaltando, ainda, que no campo mais de 70% é ligado a rastreamento de gado, mas também pode ser usada para analisar a qualidade do solo, analisar os poços de irrigação, para rastrear a produção agrícola.

Estrutura – Na primeira reunião da Câmara Agro 4.0, será elaborado um cronograma de trabalho em conjunto com todos os integrantes, com a finalidade de criar estratégias para atender as metas.

A Câmara será composta por uma secretaria executiva com um representante do Mapa e um do MCTIC e um Conselho Superior com representantes do governo, setor empresarial e academia, definidos pela Secretaria Executiva. Também haverá grupos de trabalho com temas a serem definidos pelo Conselho Superior.

O início das discussões está previsto para agosto de 2019 e conclusão em agosto de 2022.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here