Cooperativas de crédito e BB anunciam recursos para financiar para Plano Safra

Para financiar o custeio e investimento dos pequenos, médios e grandes produtores rurais do País, o governo federal anunciou em 18 de junho que o Plano Safra terá R$ 225,59 bilhões em crédito na temporada 2019/2020 – o montante é ligeiramente superior aos R$ 225,3 bilhões do ciclo anterior. Do total do Plano Safra 2019/2020, R$ 169,3 bilhões são destinados para custeio, comercialização e industrialização, R$ 53,41 bilhões para investimentos, R$ 1,85 bilhão para apoio à comercialização e R$ 1 bilhão para o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR). 

Os sistemas cooperativos de crédito (Cresol, Sicoob e Sicredi), fortalecendo seu vínculo com o agronegócio, anunciam a disponibilização de mais de R$ 35,5 bilhões. Já o Banco do Brasil – um dos agentes mais atuantes na concessão de financiamentos para o setor agrícola e pecuário – divulgou a existência de R$ 103 bilhões em recursos para financiar a safra.

A Cresol projeta repasse aos cooperados de R$ 1,4 bilhãoDesse montante, segundo o presidente da Cresol Baser, Alzimiro Thomé, “R$ 1 bilhão será captado do BNDES e cerca de R$ 450 milhões em recursos próprios. Com certeza não faltarão recursos para esta safra, estamos a cada ano superando o montante destinado aos nossos cooperados que hoje estão em 10 estados brasileiros”. Vale destacar que, neste ano-safra, Pronaf e Pronamp terão os maiores orçamentos de suas histórias no Plano Safra. Enquanto para os participantes do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultora Familiar (Pronaf) o novo plano safra disponibilizará a partir de julho R$ 31,22 bilhões, valor que fica à disposição do agricultor para custeio, comercialização e investimento com taxa de juros de 3% a 4,6% ao ano; para o Pronamp, que reúne médios agricultores, os juros serão de 6% ao ano e para os demais produtores, de 8% ao ano, e que, nesta edição, está 32% acima dos recursos da safra anterior. 

Com incremento de 21% em relação ao ano-safra anterior, que envolveu a concessão de R$ 16,6 bilhões até maio último, o Sicredi disponibiliza R$ 20,1 bilhões para o Plano Safra 2019/2020, projetando atingir mais de 220 mil operações. Do montante para este novo ciclo, a expectativa da instituição financeira cooperativa é disponibilizar R$ 17,5 bilhões em operações de custeio, comercialização e investimento, além de R$ 2,6 bilhões com recursos direcionados, oriundos do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) e do FCO (Fundo Constitucional do Centro Oeste). 

“O crédito rural é fundamental para a sustentabilidade do agro. Ao optar pelo Sicredi, o associado obtém o financiamento necessário para o seu empreendimento rural e contribui com a sua cooperativa, beneficiando-se ainda com a possibilidade de retorno de resultados e impulsionando o desenvolvimento socioeconômico da comunidade local”, ressalta Gustavo Freitas, diretor executivo de Crédito do Banco Cooperativo Sicredi, frisando que no Plano Safra 2019/2020, os pequenos e médios produtores rurais continuam sendo os principais perfis atendidos pela instituição – no ciclo anterior, 80% das operações realizadas foram direcionados a estes públicos. 

A agricultura familiar vem merecendo atenção especial do Sistema Sicredi, por meio de desembolsos do Pronaf, com recursos do BNDES. Exemplo é que, entre janeiro e dezembro de 2018, a instituição realizou aproximadamente 20 mil operações de investimento, totalizando mais de R$ 1,2 bilhão. Com isso, foi o agente financeiro com o maior volume de recursos e de operações nesta categoria no ano passado com recursos do banco de desenvolvimento – também ocupando o 1º lugar em operações indiretas nas linhas Pronamp, Inovagro e Moderagro.

Já o Sicoob anuncia R$ 14 bilhões para a safra 2019/2020, incluindo linhas de custeio, comercialização e investimento, além de BNDES, FCO e Funcafé. Esse valor é 16% maior em relação à safra anterior. Para o custeio serão liberados R$ 8,2 bilhões do montante, enquanto para o investimento R$ 5 bilhões, e para as linhas de comercialização e industrialização R$ 800 milhões.  Além de ampliar a disponibilidade de recursos, o Sicoob preparou duas novidades para este ano-safra: um concurso e linha de financiamento para cafeicultores via CPR PEP.

O concurso visa a premiar produtores rurais financiados pelo Sicoob que praticam uma produção sustentável no tripé econômico, social e ambiental. Ao longo da safra as cooperativas do Sicoob avaliarão esses produtores, os quais serão reconhecidos em cerimônia a ser realizada em Brasília (DF) ao final da safra. 

Já o novo produto, que amplia o leque de financiamento para cafeicultores, possibilita ao produtor a obtenção de recursos financeiros para seu empreendimento, de acordo com o preço do café negociado na B3 (bolsa de valores). Trata-se da Cédula de Produto Rural – Preço Equivalência Produto (CPR PEP), que representa um compromisso financeiro lastreado na equivalência de preço da cotação de contrato futuro de café.

Com a CPR-PEP, o cafeicultor cooperado do Sicoob pode pagar suas despesas de custeio e comercialização através da antecipação de cotações do mercado futuro, além da possibilidade de se beneficiar com as oscilações no mercado futuro e físico, pois o valor de liquidação da sua operação se dará de acordo com a cotação do contrato futuro na B3.

Além do financiamento referenciado em cotação futura, a CPR-PEP agrega valor ao processo de tomada de decisão do cafeicultor, possibilitando ampliar as estratégias da sua gestão financeira e comercial. Essa combinação de instrumentos de mercado, à vista e futuro, contribui de forma positiva para uma trajetória crescente dos resultados ao longo do tempo. 

Em 2018, o Sicoob foi responsável por financiar 10% da área total de café, tornando-se o maior repassador de recursos do Funcafé – absorvendo mais de R$ 847 milhões. Por safra, o Sistema financia em média 210 mil hectares por safra, ou seja, mais de 1,5 bilhão de recursos a cada período destinados para a produção de café e mais de 20 mil produtores atendidos, sendo que o Funcafé disponibiliza mais de R$ 5 bilhões para o fomento da Economia Cafeeira no Brasil, anualmente Por meio desse recurso, produtores de café cooperados do Sicoob, desde cafeicultores familiares até grandes cafeicultores e indústrias de beneficiamento ,  podem contar com diferentes recursos para as finalidades de custeio, comercialização, investimento e industrialização, envolvendo estocagem, financiamento para Aquisição de Café (FAC) e Financiamento de Capital de Giro para Indústrias de Café Solúvel e de Torrefação de Café – Linha para capital de giro.

BB disponibiliza R$ 103 bilhões – O valor é  20% superior ao realizado na safra anterior. Serão R$ 91,5 bilhões para o crédito rural e R$ 11,5 bilhões para o crédito agroindustrial. Na visão por segmento, o Banco disponibilizará R$ 14,10 bilhões para a agricultura familiar e R$ 77,40 bilhões para os demais produtores.

Além das soluções tradicionais do crédito rural, as empresas do agronegócio poderão contar com o apoio do BB para emissão de Certificado de Recebíveis do Agronegócio – CRA e Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio – CDCA para captar recursos com taxas atrativas e adequar o perfil de suas dívidas ao seu fluxo de caixa.  O Banco também irá disponibilizar, em toda a sua rede de agências, a oferta de opções para proteção de preços das principais commodities agropecuárias, proporcionando maior previsibilidade e planejamento aos produtores na comercialização de seus produtos. 

Aos seguros agrícola e faturamento para as áreas financiadas, o BB agrega a possibilidade de contratação online para áreas não-financiadas ou financiadas com CPR, permitindo a precificação e a contratação instantâneas para clientes específicos e parcelar o pagamento do seguro em até 7 vezes sem juros.

De forma inovadora, o Banco disponibilizará o BB Seguro Pecuário Faturamento, garantindo aos Agropecuaristas o pagamento de indenização quando o faturamento obtido com a venda do rebanho segurado for inferior ao faturamento garantido (valor segurado) constante da apólice.   

Já para os produtores de arroz irrigado do Rio Grande do Sul, será disponibilizado um novo tipo de seguro. Trata-se do BB Seguro Agrícola Personalizado, que garante melhores condições para a comercialização do produto e maior proteção para sua atividade.   

O Pronaf Custeio, por sua vez, é solução 100% digital disponibilizada para produtores rurais no âmbito da agricultura familiar que, por meio do App BB, permitirá renovação das operações de custeio a qualquer momento, com agilidade e comodidade, sem que seja necessário se dirigir a uma agência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here