Blockchain, IoT e Inteligência Artificial da IBM para o agronegócio e contra o desperdício

A IBM apresentou em 15 de fevereiro diversas iniciativas que estão transformando a forma como os alimentos são produzidos, transportados e vendidos em toda a América Latina, contribuindo para reduzir o desperdício e a fraude, diminuir a disseminação de doenças transmitidas por alimentos, aumentar a produtividade e levar comida para mais mesas na América Latina. Na ocasião, foi lançado o Desafio SinDesperdicioHortalizas na Argentina, promovido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), pela Secretaria de Agroindústria da Argentina e pela Global Food Bank Network, em colaboração com a IBM.

A IBM também anunciou que a Raízen – líder na produção de açúcar, etanol e bioenergia, e uma das empresas de energia mais competitivas do mundo – é a primeira empresa da Agroindústria na América Latina a utilizar as soluções da The Weather Company, da IBM. O produto em desenvolvimento na parceria entre a The Weather Company e a Raízen visa melhorar a precisão no planejamento da cadeia produtiva da cana de açúcar.

Esses novos anúncios contribuem para a crescente lista de projetos que a IBM está realizando com as principais organizações da América Latina para ajudar a transformar a rastreabilidade, transparência e segurança da cadeia de suprimento de alimentos (vide abaixo). De acordo com Martin Hagelstrom, executivo de Blockchain, IBM América Latina, “a tecnologia tem o potencial de acelerar significativamente o avanço da indústria agroalimentar na América Latina, aplicando Inteligência Artificial para prever condições climáticas, IoT para medir a qualidade do solo no qual as sementes são plantadas ou usando Blockchain para rastreabilidade de alimentos em cada ponto da cadeia de distribuição. Melhor rastreamento de produtos; inclusão de pequenos produtores na cadeia de distribuição mais rapidamente, e o uso de tecnologias disruptivas ajudarão a minimizar as perdas e melhorar o bem-estar geral da região”.

Desafio SinDesperdicioHortalizas – A meta é incentivar desenvolvedores, startups e ONGs a desenvolver projetos que ajudem a otimizar a cadeia de fornecimento de alimentos. A IBM, como a única empresa de tecnologia que participa da iniciativa, fornecerá aos desenvolvedores acesso às tecnologias Watson, segurança, IoT e blockchain, disponíveis na IBM Cloud. Os participantes poderão usar tecnologias para criar soluções que ofereçam valor compartilhado e permitam que as organizações melhorem a visibilidade da cadeia de suprimentos, reduzam o desperdício e melhorem a segurança alimentar em toda a cadeia de distribuição na Argentina. O Desafio segue os passos da iniciativa SinDespercicio, lançada na América Latina em 2018, que representa uma colaboração pública/privada inigualável para abordar uma situação em que 34% dos alimentos produzidos na região atualmente são desperdiçados.

“O concurso busca identificar soluções tecnológicas, financeiras ou de processos que reduzam as perdas e desperdícios de alimentos que afetam a cadeia hortícola argentina”, afirma Germán Sturzenegger, coordenador do SinDesperdicio do BID, frisando que, com este concurso, “procuramos encorajar o desenvolvimento ou dimensionamento de soluções que melhorem o acesso ao mercado por produtores hortícolas e melhorem o uso de agroquímicos e outros insumos produtivos. As inscrições estão abertas até 7 de abril de 2019”.

Previsão de tempo – Os dados de previsão climática de longo prazo da The Weather Company fornecerão à Raízen relatórios personalizados com previsões de temperatura e precipitação das próximas três a cinco semanas no Brasil, que são utilizados para subsidiar o planejamento agroindustrial da empresa. Para a Raízen é essencial ter dados e análises meteorológicas precisas para monitorar o clima, possibilitando a antecipação de tendências, suportando assim sua área de planejamento agroindustrial em uma tomada de decisão mais ágil e segura. Nesse sentido, o produto que vem sendo desenvolvido na parceria entre as duas empresas tem grande potencial inovador.

Ações da IBM na cadeia de alimentos

Clima – Agres é pioneira em soluções para a agricultura de precisão no Brasil, com mais de 15.000 equipamentos em campo e clientes de todos os portes. A empresa utiliza soluções de Watson IoT para gerenciamento das informações de posicionamento e aplicação em máquinas agrícolas e dados de meteorologia da The Weather Company para previsões assertivas das condições climáticas para os agricultores.

Agricultura – Laurus é uma startup de agricultura urbana que implementa estufas hidropônicas e usa a nuvem da IBM para seu sistema agrícola vertical automatizado, que permite que vegetais sejam cultivados em menos espaço físico e usando 80% menos água. IBM Cloud permite que a Laurus gerencie operações em várias estufas com um único clique e monitore variáveis em tempo real, como análise de nutrientes, nível de crescimento e temperatura. Além disso, eles usam o Watson Data Platform para analisar a grande quantidade de dados gerados por cada cultura em cada estufa. Além disso, há o AgroPad, um dispositivo criado pela IBM para ajudar os agricultores a cuidar da qualidade da água e do solo. Com apenas uma gota de água ou uma amostra de solo, o chip microfluídico – que se parece com o de um cartão de crédito – dentro do AgroPad, pode analisar a amostra e fornecer resultados em 10 segundos. O fazendeiro envia os dados por meio de um smartphone usando um aplicativo móvel e receberá os resultados em tempo real.

Cadeia de suprimentos – AgreeMarket, a primeira startup AgTech (agro + tecnologia) na Argentina, desenvolveu uma plataforma online para melhorar a eficiência na comercialização de commodities agrícolas como grãos, oleaginosas, subprodutos e especialidades nos mercados global e doméstico. AgreeMarket está usando a tecnologia blockchain da IBM para desenvolver uma rede que cria imutabilidade em tempo real de negociações e contratos compartilhados na rede. Atualmente a empresa possui mais de 130 clientes.

Distribuição e Varejo – AOS é uma empresa colombiana especializada no fornecimento de soluções de negócios que está digitalizando sua rede de distribuição usando a IBM Blockchain Platform e IoT. Quando o caminhão deixa um ponto de distribuição, uma mensagem automática é enviada ao cliente, o informando sobre a carga, o peso e a hora estimada de chegada. Por meio dos sensores localizados nos caminhões, é gerado um repositório de informações que rastreia todas as trocas, paradas e transações realizadas por cada caminhão e sua respectiva carga. A rede blockchain também captura o peso de entrada e saída para identificar a capacidade disponível. Informações externas, como clima, umidade, temperatura e dados do motorista, também são registradas para ajudar a estimar as programações de entrega. Além dessa empresa, o IBM Food Trust fornece um ecossistema baseado em blockchain conectando produtores, processadores, distribuidores e varejistas por meio de um registro permanente e compartilhado de dados do sistema alimentar. Melhora a visibilidade e a rastreabilidade dos alimentos em toda a cadeia de suprimentos, reduzindo o tempo necessário para rastrear alimentos na rede até 2,2 segundos. A rede IBM Food Trust está disponível na América Latina e hoje inclui uma ampla gama de produtores, processadores, distribuidores e participantes varejistas globais, incluindo Walmart, Dole, Carrefour e Nestlé.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here