DESTAQUE – Brasileiros marcam presença em encontro mundial de Slow Food

A 12ª edição do Terra Madre Salone del Gusto – na cidade de Turim, Itália – aconteceu entre os dias 20 e 24 de setembro. Maior evento internacional dedicado à cultura alimentar é organizado pelo Slow Food, organização global que luta por um mundo onde todos possam ter acesso e apreciar um alimento bom para eles, bom para quem cultiva e bom para o planeta, que reúne mais de um milhão de ativistas, chefs, especialistas, jovens, agricultores, pescadores e acadêmicos, em mais de 160 países.

Neste ano, reuniu esse ano mais de 5.000 delegados de 140 países, 800 expositores, 300 Fortalezas Slow Food e 500 comunidades do alimento. O Brasil, como tradicionalmente acontece, esteve presente e levou a maior comitiva até então, com cerca de 100 membros, entre agricultores familiares, produtores, acadêmicos, chefs, ativistas da Rede Jovem Slow Food (Slow Food Youth Network – SFYN), estudantes, representantes das comunidades indígenas e membros do Conselho do Slow Food Brasil.

Georges Schnyder, membro do Comitê Executivo Internacional, comemora a participação brasileira: “Tenho muito orgulho de ser parte da rede internacional do Slow Food representando uma delegação tão incrível. Certamente a troca e o diálogo entre pessoas de diferentes culturas, idiomas e hábitos farão com que cada um volte para casa enriquecido, com mais entusiasmo e desejo de levar adiante nossas atividades, lutando por um futuro melhor para o nosso planeta”.

De forma geral, “os Terras Madres servem para que as pessoas entendam mais completamente o que é o Slow Food”, informa Glenn Makuta – articulador e membro do Núcleo Gestor do Slow Food Brasil –, explicando que “muitas vezes, algumas pessoas atuam em alguns temas e não enxergam a complexidade do movimento e do tema da alimentação em suas várias vertentes. Quando alguém participa de um Terra Madre, consegue ter uma noção muito mais ampla dos temas e dos atores que estão envolvidos dentro do movimento, porque começa a ver toda a diversidade de pessoas, ingredientes, campanhas, temas e abordagens dentro da rede, e esse que é o ponto mais interessante de resultado que temos. A partir disso, varia muito como cada delegado e participante acaba internalizando isso e aproveitando a vivência para realizar suas ações nas localidades. Neste ano, temos desde pessoas que participam dos Terras Madres há várias edições e continuam fazendo suas atividades apenas localmente, até aquele que começa a interagir muito mais nacionalmente. Além disso, as pessoas costumam voltar inspiradas e com forças renovadas para continuar este trabalho depois de perceber a força mundial da rede”.

 

Programação

A campanha #foodforchange, ou “comida para mudança” foi o tema do Terra Madre Salone del Gusto deste ano. Cinco importantes assuntos foram trabalhados com atenção em uma abordagem positiva e inclusiva. São eles: Slow Meat, Slow Fish, Insetos e polinizadores, Sementes e Comida e Saúde.

No Mercado Internacional, organizado no Lingotto Fiere e no Oval, as Fortalezas brasileiras estiveram divididas por áreas geográficas: a Região Norte apresentou o Waraná Nativo dos Sateré-Mawé, mais conhecido como guaraná que, em língua indígena, significa “início de todo conhecimento”, e o Mel de Abelha Canudo dos Sateré-Mawé. Da Região Nordeste, estiveram presentes o Maracujá da Caatinga, o Licuri (fruta da palmeira licuri do semiárido baiano), o Umbu (cujo nome deriva de y-mb-u que, em tupi-guarani, significa “árvore que dá de beber”), e o Mel de Abelha Mandaçaia da Caatinga. A Região de fronteira entre Centro-Oeste e Sudeste foi representada pela Castanha de Baru.

Além disso, foram apresentadas novas Fortalezas em fase de reconhecimento pela Fundação Slow Food para a Biodiversidade, como o Cacau Cabruca do sul da Bahia; o Pequi do norte de Minas Gerais; o Gergelim Kalunga e o Pequi do Xingu, do Centro-Oeste; o Butiá do litoral catarinense e a Farinha de Mandioca dos Engenhos de Santa Catarina da Região Sul.

A área dedicada às Abelhas e Insetos sediou o Fórum “As Abelhas sem Ferrão e o Extraordinário Mel da América Latina”, no dia 23 de setembro, às 16h, e mostrou que na Caatinga, como em muitas outras regiões da América Latina, a diversidade de espécies de abelhas contribui para a sobrevivência e a manutenção de raros ecossistemas.

Na área do Slow Fish, o Brasil foi representado pelo Laboratório do Gosto “Cozinha Baiana: Sabores do Mar e Dendê”, em 22 de setembro, às 17h30, quando os chefs baianos Caco Marinho e Fabrício Lemos, membros da Aliança de Cozinheiros do Slow Food, apresentaram a moqueca e o acarajé, pratos-símbolos da Bahia, que levam o tradicional azeite de dendê.

O Fórum do Terra Madre sobre Baby Food aconteceu em 24 de setembro, às 11h, e enfocou Alimentação e Saúde. Entre os palestrantes, Bela Gil, chef, apresentadora, escritora e influenciadora digital, que recentemente publicou um livro sobre alimentação saudável durante a gravidez e amamentação.

Ainda na área de Alimentação e Saúde, Glenn Massakazu Makuta, biólogo e articulador do Slow Food Brasil, orientou o Fórum “Imposto sobre açúcar e slow snacks: como lutar contra o junk food”, em 23 de setembro, às 11h, apresentando a própria experiência com a Aliança para Alimentação Saudável e como promover hábitos alimentares saudáveis particularmente nas escolas.

Reunindo o melhor da gastronomia mundial em uma única sede, as Cozinhas do Terra Madre receberam chefs dos quatro continentes, que prepararam pratos tradicionais de cada país com ingredientes de suas terras nativas com criatividade e paixão. O Brasil esteve representado por Eliane Regis, Caco Marinho, Fabrício Lemos, Camila Rocha e Maria da Conceição, membros da Aliança de Cozinheiros Slow Food, que apresentaram aos convidados os sabores destre enorme país.

Terra Madre Salone del Gusto é um evento organizado pela Cidade de Turim, o Slow Food e a Região do Piemonte, em colaboração como MIPAAF (Ministério italiano para as politicas agrícolas, alimentares e florestais), com a contribuição do FIDA, União Europeia e CIA (Confederação Italiana de Agricultores).. O evento é possível graças ao apoio de muitos patrocinadores, mencionamos aqui os Parceiros Oficiais: GLEvents-Lingotto Fiere, IREN, Lavazza, Lurisia, Parmigiano Reggiano, Pastificio Di Martino e Quality Beer Academy; com o apoio da Compagnia di San Paolo, Fondazione CRT-Cassa di Risparmio di Torino, Associazione delle Fondazioni di Origine Bancaria del Piemonte, e Coldiretti.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here