INPI entrega certificado de Indicações Geográficas em evento internacional

Realização conjunta do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), Sebrae, Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), Instituto Nacional de Propriedade Industrial da França e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o III Evento Internacional de Indicações Geográficas e Marcas Coletivas – que aconteceu entre 9 e 11 de agosto, na sede do Sebrae Minas, em Belo Horizonte (MG) – foi palco para a entrega de certificados de registro de IG para a Associação dos Produtores de Cacau do Sul da Bahia, relativo ao cacau da região, e para a Cooperativa Mista Agropecuária Witmarsum (Palmeira-PR), relativo ao queijo da Colônia Witmarsum. Com essa entrega, o INPI soma 49 certificações.

As Indicações Geográficas (IG) propiciam a valorização da região, dos produtores e de seus produtos, enquanto as marcas coletivas auxiliam produtos ou serviços no posicionamento de mercado. O evento abrigará painéis sobre o tema, entre os quais está o impacto das Indicações Geográficas no desenvolvimento regional, além de agendas de negócios e feira aberta ao público.

Entre os temas debatidos no evento, destaque para a criação de um selo brasileiro para produtos de Indicação Geográfica, a exemplo do que faz a Europa. Paralelamenteao evento, aconteceram rodadas de negócios, feira de produtos aberta ao público e o lançamento do Catálogo Digital de Indicações Geográficas Brasileiras, com 58 produtos e serviços típicos de territórios brasileiros, como vinho, artesanato, café, mármore, queijo, rendas, calçados, panelas de barro, cacau e aguardente.

 

 

 

 

Cooperativa Witmarsum

Entregue  pelo presidente do INPI, Luiz Otávio Pimentel, o selo de IG, no caso da cooperativa, poderá ser utilizado nos rótulos dos queijos ‘Colonial’ e ‘Colonial com Pimenta Verde’, atestando a procedência dos mesmos como “Queijo da Colônia Witmarsum”. A certificação obtida pela Cooperativa Witmarsum, além de ser a primeira a um produto de indústria de laticínios submetida ao SIF, é a terceira conferida ao produto queijo produzido no Brasil, com as duas anteriores envolvendo dois tipos de queijos artesanais produzidos na região da Serra da Canastra (MG).

Logo após receber o certificado de IG,  presidente da Cooperativa, Artur Sawatzky, manifestou sua satisfação pela obtenção da certificação, após um detalhado e minucioso processo de acreditação que durou cerca de quatro anos, dizendo que se trata de uma conquista. “É um fato marcante para a cooperativa, que comprova a prevalência da qualidade dos nossos produtos e a importância da marca Witmarsum”, disse ele. Marca esta que é utilizada em todos os produtos da linha de queijos finos. “A IG delimita a área onde o queijo é produzido à área da antiga Fazenda da Cancela, no município de Palmeira. O registro aponta que a Colônia Witmarsum se encontra na parte oriental do segundo planalto paranaense, não muito distante da escarpa conhecida regionalmente pela denominação de Serrinha, Serra do Purunã e Serra das Almas. A Colônia é cortada pela Rodovia do Café (BR 376) e a BR 277 está à margem direita. É constituída por um território de 7.800 hectares. Em uma latitude 25º25’25” sul e uma longitude 50º00’23” oeste, e altitude de 865 metros”, reforça Sawatzky.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here